© 2019 Associação da Família Cunha Coutinho

A 58ª peregrinação internacional da Ordem de Malta ao santuário mariano de Lourdes

May 9, 2016

De 29 de abril a 4 de maio, cerca de 7000 membros e voluntários, incluindo 1500 doentes, se reuniram na cidade ao pé dos Pirenéus. O Grão-Mestre Fra 'Matthew Festing encontrou os participantes durante a atribuição tradicional de medalhas aos que participam pela primeira vez. Ao acolher os peregrinos, este ano, provenientes de 44 países nos cinco continentes, Fra 'Matthew Festing lembrou que "nosso trabalho aqui nestes dias é ajudar nossos amados doentes e fazer nossa peregrinação com eles. A verdadeira razão para a qual estamos aqui é o chamamento da Virgem e a esperança dos doentes, que também é a nossa esperança ". O Grão-Mestre deu uma saudação calorosa e especial aos peregrinos da Albânia, Quénia, Senegal, Palestina, Síria e Iraque.

Com a Associação Portuguesa dos Cavaleiros da Ordem Soberana de Malta estiveram as Damas Dra. D. Maria Antonieta da Cunha Coutinho e Dra. D. Maria da Cunha Coutinho e os Cavaleiros Dr. José António Alves da Cunha Coutinho, Dr. José António Sanhudo da Cunha Coutinho e Dr. Gonçalo da Cunha Coutinho.

Neste ano do Jubileu, houve um grande significado ao passar pela Porta da Misericórdia na entrada do Portão de São Miguel para o santuário. Por quase uma hora e meia, sob um céu ameaçador e às vezes acompanhado de chuva, os voluntários da Ordem realizaram o rito de passagem com seus doentes antes de se reunirem na basílica subterrânea para a procissão da Eucaristia.

A missa pontifícia foi celebrada no domingo na Basílica de São Pio X por Raymond Leo Burke, Cardeal Patrono, na sua segunda peregrinação a Lourdes com a Ordem de Malta. Na sua homilia, o Cardeal disse: "as leituras de hoje da Sagrada Escritura induzem aqueles de nós que são membros da Ordem Soberana Militar de Malta a refletir sobre a sabedoria da dupla regra que guia e determina todas as nossas ações: defesa da fé , ou fidelidade à verdade de Cristo, e assistência aos pobres, ou fidelidade ao amor de Cristo. Quando aderimos fielmente a tudo o que Cristo nos ensina na Igreja, estamos prontos para levar aos pobres, e especialmente aos doentes, o que eles precisam: o amor de Cristo que sempre cura e fortalece mesmo com o maior sofrimento ".

 

 

Fontes: 

https://www.orderofmalta.int/2016/05/09/94153/

http://www.alystomlinson.co.uk/personal/lourdes/

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

ASSOCIAÇÃO DE FAMÍLIA UM MEIO PARA PRESERVAR A HISTÓRIA O EXEMPLO DA ASSOCIAÇÃO DA FAMÍLIA CUNHA COUTINHO por Luís Soveral Varella

June 16, 2016

1/1
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo